sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Livre

Custa livrar-me de ti, custa sacudir o resto de ti, custa empurrar-te para fora da minha vida, custa dar-me de seguida. Custa esperar pelo amor que nunca mais volta, custa esmagar a saudade que nunca me solta, custa livrar-me de não ser feliz, custa esperar para te ouvir, diz! Custa não ser livre quando quero ser, custa ficar aqui sentado a ver-me morrer, custa não ser outro sem te imaginar, custa não ser nada sem te levar. Custa o sabor da desilusão quando não estou livre, custa não saber que nunca estive.

Cicatrizes

Um dia vou chegar bem cedo e dizer que te amo, vou dormir contigo e dizer que inflamo, que és combustão quando a chama apaga porque a tua mão sempre me afaga o ego. Um dia tudo vai ser diferente, tudo vai ter mais cor e vais-me querer para sempre, um dia ainda vamos ser felizes e vamos apagar todas as cicatrizes que teimam em perdurar no nosso peito, talvez esteja a perder este jeito de te tentar conquistar ou tu é que me tentas dificultar esta via do amor é que ás vezes parece que me gostas de ver com esta espécie de dor. Um dia vamos tomar café e tu vais contar-me o teu dia, vamos juntar estas cicatrizes numa bela parceria.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Levas tanto de mim

Levas tanto de mim que eu nem sei, levas tanto de mim que me deixas em vácuo e eu a pensar que triste espectáculo. Levas tanto de mim que ás vezes sinto-me cansado, não deixas nada em mim com significado. Levas tanto de mim como o mar rouba a areia sinto-me sempre preso por entre a tua teia. Levas tanto de mim que já nem consigo explicar talvez por seres tão directa me venhas agora sufocar. Levas tanto de mim que me tiras deste pequeno espaço, levas tanto de mim que eu já nem sei o que faço...

Agora o que fica

Agora o que fica é a ferida uma espécie de rua sem saída. Agora o que fica é o nada é o caminho sozinho sem ti na estrada. Agora o que fica é apenas um vazio uma espécie de nada que me provoca arrepio. Agora o que fica são gritos mal dados, dedos deslaçados e abraços parados, o que fica é um chão sem dono um sonho sem sono uma apatia profunda da tua presença imunda. Agora o que fica são memórias estragadas de tardes mal passadas contigo a fugir, agora o que fica é vontade de tudo menos de sorrir. Agora o que fica é um tempo cinzento e eu que vivia agora morro por dentro.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Dizem que o amor

Dizem que o amor não tem preço mas eu pago sempre que quero amor. Dizem que o amor é apaixonante, mas eu vivo sem paixão, eu recuso a dar a mão prefiro a escuridão a acreditar nesse amor. Dizem que o amor é inteligente mas eu sou mais esperto que metade desta gente por isso prefiro o meu canto a dividir quarto com a serpente. Dizem que o amor transforma mas eu não gosto de transformismos nem cataclismos na minha vida, prefiro sim controlar o incontrolável e amar o detestável. Dizem que o amor faz o homem inteiro eu cá acho que sou só metade quando me falta dinheiro.

Só queria dizer

Só queria dizer que te amo, só queria dizer que um dia vais ser minha e eu vou tratar de ti com todo o meu corpo, toda a minha alma. Só queria dizer que um dia vais olhar para mim, um dia ainda vais dizer que sim, um dia vais dar-me a mão e sentir toda esta paixão que trago no olhar. Só queria dizer que estou aqui, tens todo o tempo que quiseres para aparecer e sorrir, eu juro que nem vou dormir. Só te quero dizer que te quero abraçar, quando chegares vamos ver o mar e vamos ali ficar durante mais de meia hora só para admirar o quanto é bonito todo este lugar.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Grita

Sim grita, grita o mais alto que conseguires o mais alto que tu vires, grita. Grita mas mantêm-te na luta, mantêm-te constante na tua força interior, grita para aliviares todas essas dores que te martelam a mente, grita, grita mais alto que toda essa gente, não te esqueças de quem és nem para onde vais, grita para todos aqueles que são normais, grita como se o amanhã acabasse hoje, grita mesmo que já nada ta aflija, grita com todo o teu corpo de ferida aberta, grita como uma ideia concreta, grita pela tua vida, grita que nenhuma porta é sem saída.